Você está aqui: Início » Facilities » Centro de Imagem para Investigação Pré-Clínica FCF-IPEN

Facilities - Centro de Imagem para Investigação Pré-Clínica FCF-IPEN

Para acessar a agenda, clique aqui e siga para os links "Agenda Albira" ou "Agenda In-Vivo".

Albira microPET-CT



Trata-se de uma tecnologia de acesso para a imagem quantitativa não-invasiva de uma função biológica em animais vivos. O desenvolvimento de novas sondas e genes repórteres baseados em pósitron-imaging ampliou as aplicações do micro-PET para investigações do metabolismo, atividade de enzimas, interações receptor-ligante, interações proteína-proteína, expressão gênica, terapia celular e terapia genética somática. Os dados obtidos neste tipo de equipamento são de extrema importancia para as pesquisas pré-clínicas, possibilitando o avanço mais rápido no desenvolvimento do diagnóstico e terapêutica para as aplicações clínicas. 

Este equipamento constrói imagens a partir de fótons emitidos durante a aniquilação pósitron-elétron. As diversas formas de radioatividade são originadas de núcleos atômicos de alta energia, os quais emitem radiação em busca de maior estabilidade. Neste processo, podem ser emitidas partículas, como alfa, beta (beta-) ou pósitron (beta+), ou ainda radiação de alta energia, como radiação gama. 

Este equipamento requer o uso de radiofármacos que contêm radionuclídeos, tais como, carbono-11, fluor-18, oxigênio-15 e gálio-68, cujo decaimento ocorre por emissão de pósitrons, O pósitron consiste de partícula com a mesma massa do elétron, carga oposta quando comparado ao elétron, sendo denominado também de radiação Beta+, e+ ou anti-elétron. 

O pósitron é uma partícula extremamente instável, sendo destruído em frações de segundo, atingindo poucos milímetros após sua emissão. A destruição de pósitrons ocorre em uma reação de aniquilação, após o encontro com um elétron. O encontro entre pósitron-elétron leva a uma reação de aniquilação, na qual a massa de ambos é transformada em energia, seguindo a clássica equação proposta por Albert Einstein, E=m.C2. A energia gerada nessa reação é emitida na forma de dois fótons, extremamente característicos, com energia de 511 keV e trajetória oposta, com ângulo entre os dois de 180º. Esses dois fótons são detectados por detectores localizados em lados opostos no equipamento e a diferença de tempo entre eles, a qual deve ser extremamente pequena, é utilizada na localização do evento de aniquilação e consequentemente da emissão do pósitron. 

De acordo com as características de farmacocinética e farmacodinâmica do radiofármaco utilizado, são obtidas imagens funcionais de camundongos, hamster ou ratos.

O equipamento dispõe também do módulo de tomografia computadorizada (CT), o qual obtém imagens anatômicas de alta resolução. 

Atualmente, essa modalidade de tomografia pode ser utilizada em diferentes áreas da pesquisa pré-clínica e clínica no diagnóstico e acompanhamento de resposta terapêutica no tratamento de neoplasias, lesões ateroscleróticas, distúrbios inflamatórios e autoimunes e cardiopatias de origens diversas, dentre outras doenças. .

Detalhes técnicos, clique aqui


In-Vivo MSFX-Pro

Formação de imagens óticas


Equipamento com capacidade de análise de raios X de alta definição, bioluminescência e fluorescência. Apresenta anestesia acoplada, baseada em oxigênio medicinal e isoflurano. Ë possível o uso de proteínas fluorescentes, como GFP ou mCherry, entre outrase, adicionalmente, possibilita o uso de luciferases, renilla ou firefly. Apresenta também o dispositivo Field of view (FOV) que possibilita análise de até 5 camundongos simultaneamente.

Detalhes técnicos, clique aqui.

Docentes responsáveis: Dulcinéia S. P. Abdalla e Silvya Stuchi Maria-Engler

Responsável Técnico 
Walter Miguel Turato
turato @ usp.br
+55 11 3091-3637

Plano de gestão, clique aqui.

Última atualização em 11/04/2014 às 16h04